fbpx

Diretor Artístico Mauricio Ferreira. | 4 sessões de 75′ | 2018

O 3 Margens – Festival Latino-Americano de Cinema é um evento GRATUITO que ocorre na Fronteira Trinacional entre Brasil, Paraguai e Argentina entre os dias 23 a 27 de outubro de 2018.
Em sua segunda edição o evento segue fomentando espaços de difusão, criação e troca de experiências de forma permanente entre jovens realizadores do cinema regional e Latino-Americano. Proporcionando uma estrutura de exibição através de mostras competitivas de curtas-metragens e mostra convidada de longas-metragens, o evento também favorece a formação em audiovisual através de oficinas, seminários e debates com os realizadores. Assim, Almeja descentralizar o cinema das capitais e colocar Foz do Iguaçu, Ciudad del Este e Puerto Iguazú no cenário internacional do cinema independente.
Nesta mostra especialmente trazida ao Psicodália, serão exibidos os filmes da mostra Competitiva Latina-Americana; no segundo dia, a mostra Competitiva entre rios; no terceiro dia a segunda parte da mostra Competitiva Latino-Americana e no quarto dia os vencedores. Cada sessão terá em média 1 hora e 15 minutos.

 

MOSTRA AFLUENTE COMPETITIVA LATINA-AMERICANA bloco 1 (DIA 1)

Impressões e Expressões cinematográficas de todo continente.

Estamos Todos Aqui (Fic. 19’), 2018. Guarujá, São Paulo. Brasil


Dir. Chico Santos e Rafael Melin. Prod. Alexandre Mroz Tastardi

SINOPSE:

Na Favela da Prainha, às margens do Porto de Santos, Rosa tenta construir seu próprio barraco em meio à mobilização da comunidade diante de um despejo iminente. Com linguagem enérgica que mescla ficção e documentário, este filme de criação coletiva e direção de Chico Santos e Rafael Mellim intersecciona a luta por moradia ao debate sobre vivências periféricas marcadas pelas questões de gênero e sexualidade.

_______________________________________________________________________

Selva (Fic. 17’), 2017. San José. Costa Rica


Dir. Sofía Quirós. Prod. Mariana Murillo

SINOPSE:

A terra ejeta e o mar se afoga, o jogo se repete em cada geração. Para Selva ela dança entre vozes e memórias, imersa no universo cru e noturno de seu irmão mais velho. Para ela, tudo é um jogo que a prepara para a inevitável separação.

_______________________________________________________________________

Martuca (Fic. 14’), 2017. San José de la Mariquina, Región de Los Ríos, Chile.

Dir. Ricardo Valenzuela Pinilla. Prod. Camila Bascuñán Svendsen

_______________________________________________________________________

SINOPSE:

Marta, uma humilde camponesa, viaja com crescente desespero para os arredores de Mariquina, no sul do Chile, buscando cumprir a última vontade de sua mãe agonizante, o sacramento da extrema-unção.

Nubes de Febrero (Exp. 12’), 2018. Córdova, Córdoba, Argentina


Dir./ Prod. Lucía Torres

SINOPSE:

Alguns dias de verão no rio. Uma família que ainda era isso. Há memórias voláteis, que vêm e vão. A sensação de que a chuva está próxima, uma mulher de boné vermelho, as árvores ao lado da estrada. Talvez as imagens sejam como pequenas casas onde você pode salvar sua memória. E deixe dentro de alguma coisa, para que pareça verdade.

_______________________________________________________________________

De volta para o passado (Doc./ Exp. 13’), 2018. Vitória, Espírito Santo, Brasil


Dir. Diego de Jesus. Prod. Maria Grijó Simonetti

SINOPSE:

Presidente impopular tem um plano cinematográfico.

 

_______________________________________________________________________

MOSTRA ENTRE RIOS – COMPETITIVA FRONTEIRAS REGIONAIS (DIA 2)

Sessão dedicada a realizações do Alto Paraná (PY), Paraná (BR) e Misiones (AR) e regiões em que os rios dividem fronteiras entre países.

Los Dos Cines de Yody Jarsún (Fic. 5’), 2017. Aguas Blancas/ Bermejo. Argentina/ Bolívia


Dir. Alejandro Gallo Bermúdez. Prod. Cristina Tamagnini

SINOPSE:

Uma lata de filme, uma fronteira tropical e dois cinemas, um de cada lado do rio.

_______________________________________________________________________

Superfície (Fic. 22’), 2018. Foz do Iguaçu/ João Pessoa, Paraná/ Paraíba. Brasil


Dir. Bernardo Teodorico. Prod. Bernardo Teodorico/ Isadora Feitoza

SINOPSE:

Não é a vida e sim sua sombra, não é o movimento e sim seu espectro silencioso.

_______________________________________________________________________

Criativa(mente) Destoante (Doc. 17’), 2018. Curitiba, Paraná, Brasil


Dir. Natacha Oleinik. Prod. Sabrina Trentim

SINOPSE:

Ao nos aproximarmos das vivências e pensamentos de quatro mulheres, testemunhamos um esculpir artístico que é também um esculpir a própria vida.

_______________________________________________________________________

Apuntes Sobre Identidad (Doc. 19’), 2017. Chuí/Chuy. Brasil/ Uruguai.


Dir. Felipe Camargo. Prod. Mario Manríquez

SINOPSE:

Chuy (Uruguai) e Chuí (Brasil), duas jurisdições na mesma cidade que fazem parte do mesmo fluxo conjunto de pessoas e, com elas, culturas, costumes e idiomas.

_______________________________________________________________________

Centauro (Fic. 14’), 2017. Gualeguaychú, Entre Ríos, Argentina


Dir. Nicolás Suárez. Prod. Mariana Luconi

SINOPSE:

Centauro é um western greco-criollo e gauchi-político que corre entre as palmeiras e as antenas digitais dos pampas de petróleo. Quando o mau gaúcho invoca o fantasma de seu irmão morto, o drama da representação é desencadeado e a violência – sempre instrumental – emerge na forma de uma faca de rebenque que leva o homem-cavalo. O centauro, em suma, como o gaúcho, é um mito, mas um mito interrompido que nunca deixa de ser perdido há muito e muito tempo.

 

_______________________________________________________________________

MOSTRA AFLUENTE COMPETITIVA LATINA-AMERICANA bloco 2 (DIA 3)
Impressões e Expressões cinematográficas de todo continente.

Mérida, Tiempo y Naufragio (Doc. 22’), 2018. El Vigía, Mérida. Venezuela.

Dir./ Prod. Anthony Xavier.

SINOPSE:

Tempo, elemento que sustenta a vida de todos, como o mar. Mas estas são águas inertes. 30 milhões de estátuas, o povo venezuelano à mercê da solidão nos últimos anos capturado na Plaza Bolivar de Mérida.

_______________________________________________________________________

Verde Limão (Fic. 18’), 2018. Natal, Rio Grande do Norte, Brasil


Dir. Henrique Arruda. Prod. Arlindo Bezerra

SINOPSE:

Prestes a entrar no palco pela última vez uma veterana drag queen revisita todas as cicatrizes que formam seu carnaval.

_______________________________________________________________________

La Unidad de los Pájaros (Doc. 29’), 2017. Córdoba/Tijuana. Argentina/México

Dir. Cruz Lisandro Morena. Prod. Paula Ailen Belli / Franco Rotelli / Cruz Lisandro Morena

SINOPSE:

Os centro-americanos vivem no corredor migratório mais movimentado do mundo, cruzando o México para os EUA. Exilados de seus países e em estado de ilegalidade são forçados a viajar montados no trem de carga chamado “The Beast”.

_______________________________________________________________________

 

MOSTRA VENCEDORES EDIÇÃO 2018 (DIA 04)

 

MELHOR CONTRIBUIÇÃO ARTÍSTICA

A poeira não quer sair do Esqueleto (Doc. 20’), 2018. Rio de Janeiro, RJ, Brasil


Dir. Daniel Santiso e Max William Morais. Prod. Daniel Santiso/ Max William Morais

(PARTICIPOU DA MOSTRA PARALELA “CORPO E TERRITÓRIO” – MOSTRA BRASILEIRA DE FILMES URGENTES)

SINOPSE:

Quatro habitantes do estado do Rio de Janeiro fazem parte das remoções que acontecem agora na comunidade do Metrô-mangueira e nos contam histórias. Essas narrativas surgem do encontro com as imagens da remoção da comunidade do Esqueleto, naquele mesmo lugar cinco décadas antes.

_______________________________________________________________________

MELHOR 1° FILME

Gol de Chilavert (Fic, 14’), 2018. Oberá, Misiones. Argentina


Dir./ Prod. Florencia Leites.

(PARTICIPOU DA MOSTRA ENTRE RIOS – COMPETITIVA FRONTEIRAS REGIONAIS)

SINOPSE:

Dois delinquentes enfrentam uma tarefa que é um pouco grande demais para eles.

_______________________________________________________________________

MELHOR FILME – VOTO POPULAR

Um Corpo Feminino (Doc. 20’), 2018. Porto Alegre / Rio Grande do Sul / Brasil


Dir. Thais Fernandes. Prod. Fabiano Florez/ Jessica Luz

(PARTICIPOU DA MOSTRA AFLUENTES – COMPETITIVA LATINO-AMERICANA)

SINOPSE:

Quando nomeamos uma coisa, ela perde ou ganha sentido? “Um corpo feminino” propõe um jogo aparentemente simples – pergunta para mulheres de diversas gerações a definição de algo que em teoria as unifica. Parte de um projeto transmídia, o filme é a porta de entrada para uma narrativa que possui muitos pontos de vista e nenhuma resposta certa.

_______________________________________________________________________

MELHOR FILME (JURI OFICIAL) DA MOSTRA ENTRE RIOS

Leyenda Viva (Anim. 3’), 2018. Encarnacion, Itapúa. Paraguay

Dir./ Prod. Mathias Maciel

SINOPSE:

Segue-se um dia cotidiano na vida do Pombero (é uma espécie de duende ou espírito da mitologia guarani), em suas terras onde era seu guardião, mas agora, esquecido por seu povo, nem sequer mencionado, uma terrível ferida tem que ser curada em seu peito, enquanto ele se lembra de sua vida, e tenta não morrer como sua lenda, naquela que seria a última noite do senhor da noite.

_______________________________________________________________________

MELHOR FILME (JURI OFICIAL) DA MOSTRA AFLUENTES

Eleguá (Fic. 25’), 2018. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.


Dir. Yuri Costa. Prod. Marina Lemos Gonzaga

SINOPSE:

Mariana é uma jovem se recuperando de uma grave crise de depressão. Ela só quer ser feliz, mas ainda precisa encontrar seu caminho.

Atrações relacionadas

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar