fbpx

A Abayomy apresenta neste início de ano, nas unidades do Sesc Pompéia e Campinas, o show “Afrobeat, Afrontas e Lacrações”, que trará toda a musicalidade da banda em um repertório que visita seus 10 anos de carreira. Além de faixas dos álbuns Abayomy e Abra sua Cabeça, o setlist contará com releituras representativas para a banda, como Meus Filhos, Meu Tesouro (Jorge Ben), Baba Alapalá (Gilberto Gil) e canções da Orquestra Afro-Brasileira. Os músicos prometem também apresentar uma faixa inédita, parte do trabalho que será lançado ainda em 2019. Neste novo ciclo, a sonoridade da Abayomy se volta ainda mais para a música brasileira, explorando ritmos do Norte e Nordeste do país. Expande as experimentações dentro da música africana, e aprofunda a crítica social sem perder a verve dançante e divertida, que são características importantes do som da banda. “Temos que nos divertir e entreter. Acho que de alguma forma nos dedicar a isso vai ser a melhor resposta contra aqueles que nos entristecem. Estamos buscando explorar melhor a poesia dentro da mensagem e musicalmente queremos dar um passo adiante sempre. Já temos alguns esboços de músicas e temas já bem encaminhados e esperamos em breve mostrar algumas delas para o público”, comenta o vocalista e guitarrista Gustavo Benjão. A Abayomy nasceu no Rio de Janeiro como um tributo ao criador do afrobeat, o nigeriano Fela Kuti. Alguns dos 13 músicos já se conheciam, outros se conheceram nos ensaios no Cosme Velho. O que nenhum deles podia prever naquela época é que o show no primeiro Fela Day realizado no Brasil, em 2009, seria um sucesso e despertaria em todos uma vontade irresistível de levar o projeto a outro patamar.
Então surge o nome Abayomy, uma celebração às raízes africanas e à convergência de energias e objetivos de seus integrantes: O significado em Iorubá é (entre outras coisas) “encontro feliz”. Com a banda batizada, o caminho natural foi buscar identidade própria, deixando que outras referências surgissem sem amarras, porém preservando a essência estética que os uniu. Assim, o primeiro álbum lançado, Abayomy (2012), é um disco de afrobeat brasileiro, com acento próprio, e com produção de André Abujamra.
Abayomy já sinalizava que o grupo tinha muito mais a explorar, caminho que se concretizou em Abra Sua Cabeça, de 2016. Com oito faixas, o álbum traz a energia, o ritmo e a crítica às desigualdades raciais e sociais típicas do afrobeat, agregado a sonoridades brasileiras, funk, rock e influências de outros países africanos. Guitarras, percussão e teclado assumem novas funções. Desta vez, a maior parte das letras é em português. Em seu processo coletivo de criação, Abra Sua Cabeça contou com colaborações de peso: o baterista nigeriano Tony Allen e o guitarrista Oghene Kologbo, parceiros de Fela Kuti; os músicos Otto e Céu; o produtor e baterista Pupillo e o vocalista Jorge Du Peixe, ambos da Nação Zumbi.

Atrações relacionadas

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

COMUNICADO OFICIAL